-->
Home | Jornal Multimodal | Maersk e Hapag-Lloyd iniciam “Cooperação Gemini” para oferecer rede oceânica flexível e interconectada
Postado em 29 de janeiro de 2024 | 18:07

Maersk e Hapag-Lloyd iniciam “Cooperação Gemini” para oferecer rede oceânica flexível e interconectada

Como parte do acordo, as duas empresas estabeleceram a meta de fornecer uma confiabilidade de cronograma superior a 90% assim que a rede estiver totalmente implementada; a parceria terá início em fevereiro de 2025.

A Hapag-Lloyd AG (Hapag-Lloyd) e a Maersk A/S assinaram um acordo para uma nova colaboração operacional de longo prazo chamada “Cooperação Gemini”. A nova cooperação terá início em fevereiro de 2025 e compreenderá uma frota de cerca de 290 navios com uma capacidade combinada de 3,4 milhões de contentores (TEU), a Maersk implantará 60% e a Hapag-Lloyd 40%.

Como parte do acordo, as duas empresas estabeleceram a meta de fornecer uma confiabilidade de cronograma superior a 90% assim que a rede estiver totalmente implementada. “A parceria com a Maersk nos ajudará a aumentar ainda mais a qualidade que oferecemos aos nossos clientes. Além disso, nos beneficiaremos de ganhos de eficiência em nossas operações e de esforços conjuntos para acelerar ainda mais a descarbonização de nossa indústria”, afirmou Rolf Habben Jansen, CEO da Hapag-Lloyd.

Em comunicado à imprensa, as empresas afirmarão que estão comprometidas com a descarbonização das frotas e estabeleceram as metas de descarbonização, com a Maersk a apontar para zero emissões líquidas em 2040 e a Hapag-Lloyd em 2045.

“Temos o prazer de iniciar esta cooperação com a Hapag-Lloyd, que é o parceiro oceânico ideal na nossa jornada estratégica. Ao entrar nesta cooperação, estaremos oferecendo aos nossos clientes uma rede oceânica flexível que elevará o nível de confiabilidade na indústria. Isto fortalecerá a nossa oferta de logística integrada e atenderá às necessidades dos nossos clientes”, afirmou Vincent Clerc, CEO da Maersk.

A “Cooperação Gemini” será composta por 26 serviços principais. Os principais serviços marítimos serão complementados por uma rede global de transportes dedicados centrados em centros de transbordo próprios e/ou controlados – dos quais 14 serviços de transporte na Europa, 4 no Médio Oriente, 13 na Ásia e 1 no Golfo do México. Estes serviços de transporte oferecerão uma ligação rápida com capacidade flexível entre centros e portos servidos por serviços de transporte e vice-versa.

 

 

 

Fonte: Mundo Logística


101 queries in 3,170 seconds