-->
Home | Oil & Gas | Vice-Presidente da BP diz na OTC que a produção no Golfo do México é uma prioridade para a Companhia
Postado em 4 de maio de 2022 | 17:42

Vice-Presidente da BP diz na OTC que a produção no Golfo do México é uma prioridade para a Companhia

A BP está apostando no Golfo do México entre as prioridades de seus ativos de petróleo e gás. A empresa quer que a produção de seus poços no golfo continuem sendo uma parte importante de seu portfólio na próxima década, mesmo que outras operações sejam descartadas na transição para formas alternativas de energia.

Pelo menos é o que pensa a vice-presidente sênior para o Golfo do México e Canadá, Starlee Sykes, na OTC Houston 2022. Sykes lembrou o progresso da plataforma de produção semissubmersível Argos, que agora está na região das águas profundas do Golfo do México. A plataforma deve entrar em operação ainda durante o segundo trimestre. Ela observou as atuais condições de mercado de déficits de produção, altos preços do petróleo e o conflito Ucrânia-Rússia.

Starlee Sykes disse que a bp tem três focos técnicos: hidrocarbonetos resilientes; energia de baixo carbono e mobilidade e conveniência. “Nossos ativos no Golfo continuam a atender à demanda por hidrocarbonetos resilientes. E nosso negócio está produzindo alguns dos hidrocarbonetos de maior valor do mundo”, declarou. Ela confirmou que até 2030, a BP espera reduzir sua produção de hidrocarbonetos em 40% em relação à linha de base de 2019: “Mas isso não será uniforme em todos os ativos”, acrescentou. Além da meta de produção, a companhia agora tem como objetivo reduzir as emissões globais em 50% até 2030.

Ao rever o estado dos vários projetos no Golfo, Sykes disse que 2021 foi um ano crucial. “Colocamos vários projetos online de forma limpa e sustentada.  O nosso sistema de produção submarino que se liga à plataforma Nakika e que arrancou em Junho passado, é um exemplo perfeito dos atuais projetos de alto valor da empresa. Estamos encontrando maneiras de aumentar e maximizar nossa produção no Golfo. Pretendemos expandir a produção da Thunder Horse este ano para 200.000 barris por dia. Claro, em fevereiro, iniciamos o projeto Herschel Expansion vários meses antes. E a Plataforma Nikika este ano terá a mesma produção de 20 anos atrás”, afirmou.

Sobre o Canadá, outra região que está sob a responsabilidade de Sykes, ela disse que está explorando e desenvolvendo projetos ao largo de Newfoundland e Labrador: “De mãos dadas com o trabalho do golfo está nossa exploração no leste do Canadá. Vamos conduzir a exploração a nordeste de St. John’s este ano. E participaremos de dois poços operados pela Equinor em 2022. E também estamos planejando um poço de exploração operado pela BP offshore em Newfoundland em 2023”, afirmou.

Fonte: Petro Notícias


144 queries in 3,276 seconds