-->
Home | Oil & Gas | Turquia vai construir um novo gasoduto para diminuir dependência do gás Iraniano
Postado em 22 de junho de 2020 | 18:35

Turquia vai construir um novo gasoduto para diminuir dependência do gás Iraniano

A delicada geopolítica do petróleo na Ásia. O Operador de rede de gás estatal da Turquia, Bota, abriu um concorrência para uma nova rota de fornecimento para Nakhchivan, perto do Azerbaijão, que marginalizaria as vendas de gás iranianas ao Azerbaijão, com o objetivo de reparar seu relacionamento com os Estados Unidos. Imprensado entre o Irã e a Armênia e dividindo uma pequena fronteira com a Turquia, Nakhchivan conta há muito tempo com o Irã para obter gás natural para aquecimento doméstico e geração de energia. A medida segue um anúncio em fevereiro pelos presidentes da Turquia e do Azerbaijão de que planejavam acelerar a construção do oleoduto, que está em espera desde 2010, quando foi assinado um acordo para construí-lo.

A proposta da companhia Bota exige o projeto de um oleoduto que percorre cerca de 80 quilômetros da cidade turca oriental até a fronteira com Nakhchivan, capaz de transportar até 2 bilhões de metros cúbicos de gás, o que é mais do que quatro vezes o consumo da comunidade.  O projeto deve ser concluído no aaqqaaainício de 2021, o que significa que a linha poderá ser construída e operacional já em 2022.

Nakhchivan está importando gás iraniano sob um acordo de troca entre Baku e Teerã, assinado em 2004, segundo o qual o Azerbaijão fornece gás à isolada cidade fronteiriça do noroeste do Irã, Astara, que não tem suprimento de gás dentro do Irã. Em troca, o Irã fornece 85% desse volume para Nakhchivan, com o diferencial de 15% atuando como uma taxa de trânsito – termos que Baku há alguns anos procura renegociar. A perspectiva de uma linha rival de fornecimento de gás da Turquia para Nakhchivan poderia convencer Teerã a ser mais favorável, mas a linha planejada promete ter um impacto substancialmente mais amplo. A Turquia também importa gás iraniano, mas esse fluxo foi interrompido desde 31 de março, quando um ataque de sabotagem, que as autoridades turcas atribuíram ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), forçou o fechamento do oleoduto.

O vice-ministro da Energia da Turquia, Alpaslan Bayraktar, disse em uma conferência em Istambul que Ancara planejava usar a disponibilidade de gás natural líquido barato (GNL) entregue por navio para forçar seus fornecedores de gás a reduzir seus preços: “Este é um sinal para nossos fornecedores de dutos existentes que precisam ser flexíveis.”  Nos últimos meses, a Turquia tenta melhorar suas relações conflituosas com Washington, que há muito pressiona a Turquia e o Azerbaijão a limitar seus laços econômicos com o Irã.

Os turcos avaliam que a perspectiva da Turquia e do Azerbaijão encerrar ou limitar suas importações de gás do Irã,  certamente atrairá os falcões iranianos  no governo Trump, ainda mais porque o ano passado viu os EUA se tornarem um dos principais fornecedores de gás da Turquia. Em fevereiro, os EUA respondiam por 18% das importações de gás turco, em comparação com apenas 15% do Irã.

 

 

Fonte: Petro Notícias


135 queries in 4,118 seconds