-->
Home | Oil & Gas | Produção de petróleo da OPEP cai em fevereiro
Postado em 1 de março de 2021 | 17:05

Produção de petróleo da OPEP cai em fevereiro

A produção de petróleo da OPEP caiu em fevereiro, com um corte voluntário da Arábia Saudita adicionado às reduções sob um acordo de limitação de oferta, revelou uma pesquisa da Reuters, encerrando uma série de sete quedas mensais consecutivas.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo, com 13 membros, bombeou 24,89 milhões de barris por dia (bpd) em fevereiro, revelou a pesquisa, queda de 870 mil bpd em relação a janeiro. Este é o primeiro declínio mensal desde junho de 2020.

A OPEP e seus aliados, conhecidos como OPEP +, decidiram manter o fornecimento praticamente estável para fevereiro e a Arábia Saudita fez um corte extra devido à preocupação de uma lenta recuperação da demanda. Com o petróleo atingindo uma alta de 13 meses na semana passada, a OPEP + deve discutir o bombeamento mais em uma reunião na quinta-feira.

“Até agora, os membros da aliança têm cooperado e implementado os cortes de maneira exemplar”, disse o analista Eugen Weinberg, do Commerzbank.

“Acreditamos que os altos preços farão com que a OPEP + aumente sua produção em 500.000 barris por dia, ao mesmo tempo que retira o corte de produção adicional da Arábia Saudita.”

Em fevereiro, o maior corte na oferta veio do maior exportador, Arábia Saudita, que prometeu uma redução de 1 milhão de bpd na produção em fevereiro e março para garantir que os estoques não aumentem.

Riade fez cerca de 850.000 bpd com a redução, de acordo com a pesquisa. Consultores, incluindo a PetroLogistics, que rastreia os embarques de petroleiros, disseram que as exportações sauditas permaneceram mais altas do que o esperado no mês passado.

A medida saudita significa que a OPEP está bombeando muito menos do que o exigido pelo acordo OPEP +. O cumprimento dos cortes prometidos em fevereiro foi de 121%, apurou a pesquisa, ante 103% em janeiro.

IRAN BOMPS MENOS

Outras reduções notáveis ​​vieram do Irã e de Angola.

O Irã, que está isento dos cortes da Opep e espera aumentar as exportações se as sanções dos EUA forem afrouxadas, forneceu menos petróleo em fevereiro, uma vez que o aumento nas exportações parecia ter perdido o fôlego.

No entanto, suas exportações e produção permaneceram maiores do que muitos meses de 2020.

Angola programou menos cargas para exportação em fevereiro e a produção da Líbia diminuiu depois que uma greve no porto interrompeu os embarques.

Entre os países que bombeiam mais, a Nigéria registrou o maior ganho de 100.000 bpd após a recuperação das exportações de Qua Iboe, um dos maiores fluxos de produção do país.

A Venezuela, que enfrenta sanções dos EUA e uma queda de longo prazo na produção, também registrou um aumento na oferta.

A pesquisa da Reuters visa rastrear o fornecimento ao mercado e é baseada em dados de transporte fornecidos por fontes externas, dados de fluxos Refinitiv Eikon, informações de rastreadores de petroleiros como Petro-Logistics e Kpler, e informações fornecidas por fontes em empresas de petróleo, OPEP e consultores.

 

 

 

Fonte: O Petróleo


145 queries in 5,721 seconds