-->
Home | Oil & Gas | Petróleo atinge máximas de 2023 com perspectiva de oferta restrita
Postado em 18 de setembro de 2023 | 17:05

Petróleo atinge máximas de 2023 com perspectiva de oferta restrita

Os preços do petróleo subiram para o maior nível deste ano, uma vez que as expectativas de oferta mais restrita superaram as preocupações com o crescimento econômico mais fraco e o aumento dos estoques de petróleo dos Estados Unidos.

O petróleo Brent subiu 1,82 dólar, ou 1,98%, para fechar a 93,70 dólares, depois de tocar mais cedo 93,89 dólares, o maior desde novembro de 2022.

O petróleo nos EUA (WTI) avançou 1,64 dólar, ou 1,85%, para 90,16 dólares, acima de 90 dólares pela primeira vez desde novembro.

Na quarta-feira, a Agência Internacional de Energia (AIE) disse que a extensão de cortes de produção de petróleo por Arábia Saudita e Rússia resultará em um déficit no mercado até o quarto trimestre. Os preços recuaram brevemente com um relatório baixista de estoques dos EUA, antes de retomarem a alta.

“O fato de esse relatório de estoques genuinamente pessimista ter levado apenas a uma breve tentação de venda diz muito e destaca a mentalidade do mercado”, disse Tamas Varga, da corretora de petróleo PVM.

Ambos os índices de referência caíram na quarta-feira, após um relatório de fornecimento dos EUA mostrar um aumento nos estoques de petróleo bruto e de produtos refinados.

Os fundos de hedge têm comprado futuros de petróleo bruto nas últimas duas ou três semanas, já que “os fundamentos continuam a se fortalecer, impulsionados principalmente pela forte demanda por gasolina e diesel”, disse Dennis Kissler, vice-presidente sênior de negociações da BOK Financial.

Um dia antes do relatório da AIE, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) divulgou previsões atualizadas de uma procura sólida e também apontou para um défict de oferta em 2023 se os cortes de produção se mantiverem.

“O mercado está cada vez mais nervoso com a suficiência da oferta”, disse John Kilduff, sócio da Again Capital.

“A Rússia e a Arábia Saudita estão agindo de uma forma que pode restringir materialmente a oferta à medida que entramos na época de pico da procura no Hemisfério Norte, para o período de inverno”, acrescentou Kilduff.

(Reportagem de Arathy Somasekhar em Houston, Alex Lawler em Londres; Reportagem adicional de Robert Harvey e Natalie Grover em Londres e Jeslyn Lerh em Cingapura)

 

 

 

Fonte: Reuters


105 queries in 3,021 seconds