-->
Home | Oil & Gas | Petrobras terá de reorganizar aportes caso participe de leilões, diz CEO
Postado em 18 de maio de 2017 | 18:00

Petrobras terá de reorganizar aportes caso participe de leilões, diz CEO

A Petrobras terá de reorganizar as prioridades dos aportes previstos para os próximos anos, caso a empresa decida participar dos leilões de áreas de petróleo e gás que serão realizados pelo governo brasileiro neste ano.

Em entrevista exclusiva à Reuters, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou nesta quarta-feira que a empresa estuda adquirir direitos exploratórios de áreas apenas em águas profundas que serão ofertadas nos três grandes leilões deste ano, e que deverá ter alguma posição sobre o tema ainda neste mês.

O atual plano de negócios 2017-2021, anunciado em setembro de 2016, prevê investimentos de 74,1 bilhões de dólares, cerca de 25 por cento menor que o Plano de Negócios e Gestão 2015-2019 revisado em janeiro daquele ano.

“Nós temos uma previsão de investimentos de 75 bilhões de dólares entre 2017 e 2021, e isso é muito importante para atingir nossas metas de alavancagem… Se nós ganharmos novas áreas, nós teremos que reorganizar nossas prioridades”, disse Parente, que visitou a redação da Reuters, em Nova York, antes de participar de vários encontros com investidores nos Estados Unidos.

Ao mesmo tempo em que tem que escolher bem seus investimentos, devido à enorme dívida líquida de cerca de 300 bilhões de reais, a maior de uma empresa do setor no mundo, a Petrobras também não pode abrir mão facilmente de agregar novas reservas por meio de leilões no Brasil, de onde vem a maior parte de sua produção de petróleo.

Segundo o executivo, se a previsão de investimentos aumentar, a empresa terá de buscar reduzir ainda mais custos.

A empresa tem entre a última semana deste mês e a primeira de junho para decidir e anunciar se irá exercer seu direito de preferência nos dois leilões do pré-sal, previstos para outubro.

Além disso, a empresa também irá decidir ainda se participará do leilão de áreas exploratórias fora do pré-sal, sob regime de concessão, previsto para setembro.

Fonte: Reuters

Deixe um comentário:

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*


137 queries in 5,928 seconds