-->
Home | Oil & Gas | Petrobras intensifica cooperação internacional em compliance
Postado em 13 de dezembro de 2022 | 18:11

Petrobras intensifica cooperação internacional em compliance

Após aprimorar seus mecanismos de controle nos últimos anos, a Petrobras está intensificando a cooperação com órgãos como Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Transparência Internacional e Fórum Econômico Mundial para melhorar o ambiente de negócios nas organizações e no mundo.

Nas últimas duas semanas, o diretor de Governança e Conformidade da companhia, Salvador Dahan, participou de eventos com essas organizações em Washington, nos EUA, e Genebra, na Suíça, tratando de temas como utilização de dados para a prevenção e o combate à corrupção, e transparência na identificação dos controladores finais das empresas (ultimate beneficial owner- UBO), um tema que vem causando grande debate pois ajuda no combate à lavagem de dinheiro e a sonegação de impostos, mas esbarra em questões de data privacy (privacidade de dados).

– No contexto atual, as organizações serão instigadas a demonstrar seu impacto positivo, sua contribuição para a sociedade e suas atitudes para promover ativamente um ambiente de negócios ético e competitivo em cenários cada vez mais desafiadores. A Petrobras tem assumido um protagonismo internacional nas discussões sobre integridade e transparência, o que demostra um reconhecimento da sociedade internacional ao trabalho executado no sistema de governança e conformidade da companhia – destaca Salvador Dahan.

Dentro de casa, a Petrobras está ampliando o uso da tecnologia no combate à corrupção. A companhia revisou sua matriz de controles e saiu de 7% para mais de 30% dos seus controles automatizados nos últimos dois anos, bem superior à média da indústria no segmento de energia, que é de apenas 12%. A utilização de tecnologia em larga escala contribuiu para que a companhia realizasse, somente em 2022, mais de 1,6 mil análises de empresas com quem faz negócio (Due Diligence de Integridade).

 

 

Fonte: TN Petróleo

 


102 queries in 7,020 seconds