-->
Home | Oil & Gas | Oferta elevada petróleo pode levar barril a menos US$20/barril, diz BoFA
Postado em 18 de março de 2020 | 18:58

Oferta elevada petróleo pode levar barril a menos US$20/barril, diz BoFA

Uma alta da oferta de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e de outros produtores pode sobrecarregar o armazenamento global à medida que o coronavírus reduz a demanda, empurrando os preços para menos de 20 dólares por barril, afirmou o Bank of America Global Research nesta quarta-feira.

Os preços do petróleo caíram para cerca de 25 dólares o barril devido ao impacto do vírus e a uma pressão da Arábia Saudita para aumentar a produção após o colapso de um acordo entre a Opep e seus aliados, conhecido como Opep+, para conter a oferta.

“(Cerca de) 4 milhões de barris por dia (mbpd) de nova oferta da Opep+ poderão chegar nos próximos dois meses”, disse o BoFA, acrescentando que o consumo global pode contrair mais de 0,5 mbpd na primeira metade de 2020, com a situação provavelmente se espalhando na segunda metade, se o surto de vírus não estiver contido.

Esse excedente pode preencher rapidamente a capacidade global de armazenamento disponível – e se a capacidade terrestre for insuficiente, será necessário armazenamento flutuante adicional, disse o banco.

À medida que os estoques de petróleo aumentam, o contango no petróleo nos EUA (WTI) – em que os preços para entrega futura são mais caros do que os para expedição imediata – pode aumentar e tornar o petróleo americano mais caro do que o petróleo de referência global Brent, acrescentou.

Isso poderia deslocar a produção de shale dos EUA, mas “levaria cerca de 12 meses para que os suprimentos dos EUA caíssem 4 mbpd, se os perfuradores de shale parassem de completar os poços hoje”, disse a BoFA.

O Goldman Sachs previu que a demanda global cairia um recorde de 1,1 mbpd este ano e reduziu sua previsão de preço do Brent no segundo trimestre para 20 dólares por barril.

Os preços do petróleo caíam pelo terceiro dia na quarta-feira, com a epidemia de coronavírus derrubando as perspectivas de demanda.

Fonte: Reuters


140 queries in 3,011 seconds