-->
Home | Oil & Gas | Ministro do Petróleo da Síria diz que forças americanas controlam 90% do petróleo produzido no País
Postado em 23 de março de 2021 | 17:06

Ministro do Petróleo da Síria diz que forças americanas controlam 90% do petróleo produzido no País

O ministro do Petróleo da Síria, Bassam Toma’a, revelou que cerca de 90% do petróleo da Síria está sob controle das forças dos Estados Unidos, onze anos depois de ter começados a Guerra Civil no país.  “Os americanos e seus seguidores estão agindo como piratas, pois têm como alvo a riqueza e os suprimentos de petróleo da Síria”, afirmou o ministro do regime sírio.

O ministro disse ainda que “Há um futuro promissor para a indústria do petróleo nas águas da Síria. Precisamos de tranquilidade e condições logísticas estáveis.” Bassam Toma’a estimou que as perdas totais diretas e indiretas do setor de petróleo sírio ultrapassam US$ 92 bilhões, afirmando  que o que aconteceu na Síria nunca havia ocorrido em relação à exploração de riquezas e suprimentos. Para lembrar, o Ministério do Petróleo do regime de Bashar Al-Assad assinou contratos com a petrolífera russa Capital para explorar petróleo ao largo da costa da de Tartus,  uma área de 2.250 km².

 Empreendedores americanos pioneiros entraram no negócio do petróleo na Síria, através da companhia  norte-americana Delta Crescent Energy (DCE). Segundo  investigações, a empresa foi fundada por um ex-membro da Força Delta dos Estados Unidos que conhecia a liderança curda  por meio da empresa de segurança que ele fundou, a TigerSwan. Em abril do ano passado, o tesouro americano concedeu uma rara licença permitindo ao DCE contornar as sanções americanas ao setor de petróleo da Síria. Mesmo com a aprovação dos Estados Unidos, a DCE está operando em um mercado cinzento. Existem dúvidas sobre quem controla os campos de petróleo e quem lucra com eles.

O petróleo é transportado por contrabandistas dentro da Síria e para o norte do Iraque.  Damasco concedeu contratos de desenvolvimento desse petróleo à empresas russas como recompensa por seu aliado militar Moscou. No entanto, a administração curda não permite que os russos ou o regime tenham acesso direto aos campos. As Forças Democráticas Curdas da Síria (SDF), que controlam a região, não têm outra escolha a não ser vender para corretores do regime ou contrabandistas  do norte do Iraque. O equivalente a  US$ 3 milhões de petróleo por dia  vendido no mercado negro.

 

 

 

 

Fonte: Petro Notícias


149 queries in 5,616 seconds