-->
Home | Oil & Gas | Em preparação para a OTC, Bratecc vê ambiente ideal para empresas nacionais de O&G exportarem para os EUA
Postado em 12 de agosto de 2021 | 18:37

Em preparação para a OTC, Bratecc vê ambiente ideal para empresas nacionais de O&G exportarem para os EUA

Na contagem regressiva para a OTC Houston 2021, a Câmara de Comércio Brasil-Texas (BRATECC) enxerga que o momento atual está bem propício para que empresas brasileiras invistam em novos negócios no mercado americano. Para tratar desse assunto, a nossa conversa será com o presidente da BRATECC, Ulisses Sperandio (foto). Ele afirma que “as relações entre Brasil e Texas nunca estiveram tão fortes” e credita isso à política brasileira do atual governo de aproximação com os Estados Unidos. “A BRATECC aumentou significativamente o número de eventos em consequência desse ambiente próspero, o que gera mais membros e mais eventos, em um ciclo virtuoso em benefício de todos”, comentou Sperandio. Falando em eventos, a câmara organizará dois encontros de negócios que serão paralelos à OTC Houston. O primeiro deles, na próxima segunda-feira (16), às 18h, contará com a presença do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Já na quarta-feira (18), no tradicional café da manhã da BRATECC, o convidado será o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Rodolfo Saboia. 

O presidente da Petrobrás, Joaquim Silva e Luna, participará desses dois eventos. Falando especificamente sobre as perspectivas com o setor de óleo e gás, o presidente da BRATECC afirma que o timing é perfeito para exportação de todos os tipos de produtos brasileiros, especialmente por conta do câmbio. “No setor do óleo e gás, existem oportunidades para softwares, serviços e produtos relacionados com a extração, produção e distribuição de produtos; assim como produtos químicos para a indústria de refino (downstream)”, avaliou. Sperandio comenta ainda nesta entrevista sobre as comemorações dos 20 anos da BRATECC e os planos de expansão de atuação da câmara – que inclui até mesmo o ingresso no setor aeroespacial.

Para começar, seria interessante ouvir como está a expectativa da BRATECC com a OTC Houston, que volta a ser realizada agora em agosto após o cancelamento da edição de 2020.

O espírito dessa edição da OTC é de resiliência e perseverança. Nós na BRATECC – e, me atrevo a dizer, na Comunidade de Negócios do Texas – estamos muito animados de poder participar e realizar eventos presenciais depois de tanto tempo de “hibernação”. Estaremos seguindo as normas de higiene e saúde ditadas pela Prefeitura de Houston e pelo Estado do Texas e estamos confiantes que teremos um evento seguro e benéfico para os nossos membros e organizações que participarão desses encontros.

Infelizmente, não poderemos contar com a presença significativa das delegações brasileiras como em anos anteriores, mas estamos bastante confiantes que essa falta será parcialmente compensada com a atração de muitas pessoas e organizações baseadas nos EUA e que estarão abrilhantando nossos eventos. A vinda das mais altas autoridades no Ministério das Minas e Energia e da ANP certamente estão impulsionando a maior participação americana das “Majors”, tais como ExxonMobil, Chevron, Total e várias outras. Pelo lado brasileiro teremos a Petrobrás, a PPSA, o Bradesco, entre outras companhias.

Eu gostaria também que contasse aos nossos leitores um pouco sobre as relações comerciais entre Brasil e Texas após mais de 1 ano de pandemia. O que mudou ou evoluiu durante esse período?

Nossas relações nunca estiveram tão fortes. Acreditamos que a Política Brasileira do atual governo de aproximação aos EUA, incluso Texas, com muitas ações concretas no sentido de incentivar as relações comerciais, está sendo reconhecida pelos EUA e gerando bons resultados para os dois lados. O mercado americano é o maior do mundo e oferece muitas oportunidades para as empresas brasileiras que querem vir pra cá. Atualmente, o câmbio está muito favorável para as exportações para os EUA.

Além disso, temos uma oportunidade única de substituir a China como fornecedor de produtos manufaturados para os EUA pois, com a pandemia, ficou muito claro a necessidade de uma maior diversificação de fornecedores para os EUA vindo de países mais alinhados com os americanos no que tange a uma filosofia de livre mercado. Adicionalmente, o Texas é o estado americano que mais atrai companhias e pessoas dentro dos EUA, por suas melhores condições de incentivos aos negócios comparados a outros estados americanos, como Califórnia e New York. Só como exemplo, a Tesla se mudou da Califórnia para o Texas há um ano e existe um aumento de empregos e oportunidades em função disso.

Em função do exposto, a BRATECC tem aumentado o seu número de membros por conta dessa melhoria considerável de relações e da renovada seriedade por parte do Brasil. A BRATECC aumentou significativamente o número de eventos em consequência desse ambiente próspero, o que gera mais membros e mais eventos, em um ciclo virtuoso em benefício de todos.

Poderiam falar brevemente sobre a programação de eventos especiais da BRATECC durante a OTC? Quais serão os principais pontos desses encontros?

Estamos todos muito entusiasmados com os nossos dois eventos em agosto, durante a semana da OTC. Na próxima segunda, dia 16, a partir das 18h, no Hotel St. Regis in Houston, teremos um cocktail homenageando o nosso Ministro das Minas e Energia, Bento de Albuquerque, que irá transmitir as prioridades do setor para a uma plateia exclusiva de empreendedores, empresas multinacionais e membros da BRATECC interessados em investir no Brasil. Durante esse evento teremos também a presença do secretário de petróleo e gás do Ministério de Minas e Energia, José Mauro Coelho; assim como o Sr. Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobrás, que fará alguns comentários sobre os resultados e diretrizes da empresa.

Na quarta-feira, dia 18, a partir das 7h, no Hotel Hilton Post Oak, teremos nosso já tradicional BRATECC Offshore Breakfast (Café da Manhã), com o tema “Navegando na nova década do O&G do Brasil: Um oceano de oportunidades do onshore ao offshore, transferência de direitos e muito mais”, com o keynote speaker Rodolfo Saboia, diretor-geral da ANP, e um painel de altos executivos do setor de petróleo e gás. Os participantes estarão respondendo perguntas sobre as diretrizes e sobre as oportunidades de investimento no Brasil. Teremos também a presença do Sr. Joaquim Silva e Luna, que fará um pronunciamento sobre os excelentes resultados financeiros da Petrobras no último trimestre, assim como uma visão geral do plano [de negócios da Petrobrás] para os próximos anos.

Atualmente, ao seu ver, quais são as principais oportunidades de negócios e parcerias entre empresas de óleo e gás do Brasil e do Texas?

O Estado do Texas é a nona economia no mundo, atrás do Brasil (oitava), e a porta de entrada para os EUA. Estando no Texas, você está dentro da economia americana, onde existem oportunidades para todos os tipos de produtos e serviços que tenhamos no Brasil. Na atual conjuntura do câmbio positivo para exportação, o timing é perfeito para exportação de todos os tipos de produtos brasileiros. A BRATECC é a porta de entrada para buscar oportunidades específicas. No setor do óleo e gás, existem oportunidades para softwares, serviços e produtos relacionados com a extração, produção e distribuição de produtos; assim como produtos químicos para a indústria de refino (downstream).

De modo geral, como estão as perspectivas da Bratecc em relação ao mercado de óleo e gás?

Nossas perspectivas são arrojadas e atingíveis. Estamos expandindo para a cadeia completa de petróleo e gás. Além da extração e prospecção (Upstream), também abrangemos a distribuição (Midstream), o refino e a indústria química associada (Downstream). E estamos incluindo as novas fontes de Energia (Wind & Solar), o que amplia a matriz energética.

Acabamos de concluir a fase 1 de nossa estratégia de expansão da Diretoria da BRATECC para a inclusão de autoridades brasileiras na área de O&G, tais como o Sr. Décio Odone, atualmente CEO da Enauta Energy. Decio foi o Diretor Geral da ANP, anterior ao Rodolfo Saboia, e continua sendo uma liderança na indústria. Estamos contando também com a Carla Lacerda, que foi presidente da ExxonMobil no Brasil. A fase 2 incluirá mais membros de alto escalão baseados no Brasil para completar nosso “Advisory Board of Directors”, que serão fundamentais em nossa expansão.

A BRATECC está caminhando para o seu 20º aniversário. O que a câmara está preparando para celebrar a data? Quais as novidades a caminho?

Temos varias ações em comemoração a esse marco, entre as quais ampla divulgação em nossos eventos e ampliação da nossa área de atuação. Isso inclui também expansão para o agronegócio e, em particular, para empresas ligadas a preservação ambiental, tais como Créditos de Floresta, alinhados com os movimentos em direção à conservação do planeta e, mais especificamente, das florestas brasileiras.

Adicionalmente, estamos ingressando na área de Exploração Espacial, alinhados com as iniciativas do Ministro Marcos Pontes e com participação na SpaceComm. A exploração espacial é uma área de renovado interesse e que tem um enorme potencial de fomentar toda uma indústria a ser desenvolvida tais como Alimentos, Matérias, Comunicação, Software, Miniaturização e muito mais.

 

 

 

Fonte: Petro Notícias


136 queries in 4,103 seconds