-->
Home | Oil & Gas | Desistência de uma empresa em explorar poços Onshore pode fazer Portugal deixar de explorar campos terrestres no País
Postado em 8 de setembro de 2020 | 20:12

Desistência de uma empresa em explorar poços Onshore pode fazer Portugal deixar de explorar campos terrestres no País

O Jornal Econômico de Portugal está afirmando baseado em uma de suas fontes no Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC), que Portugal acabou com a exploração de petróleo e gás. Segundo a publicação, a   decisão teria sido tomada depois de a Australis, a última empresa que procurava hidrocarbonetos onshore no país, ter renunciado aos contratos de concessão.

O Petronotícias procurou não só o MAAC, mas tentou confirmar a informação também junto a GALP, a maior petroleira portuguesa, mas ainda não conseguiu um posicionamento  formal. Essa decisão, no entanto, não parece ser seguida na exploração offshore, onde a GALP e a Eni, da Itália, formaram um consórcio para exploração de campos de petróleo na costa do Algarve, que ainda está sob estudo.

Na última sexta-feira (4), a Australis Oil & Gas Portugal estava para anunciar a decisão de  desistir de procurar gás natural nas áreas que lhe foram concessionadas na Batalha e em Pombal. Estes dois contratos de concessão eram os últimos que ainda estavam em vigor. A empresa australiana detinha, desde 2015, e pelo período de oito anos, as duas concessões para a exploração de hidrocarbonetos em cerca de 2.510 quilômetros quadrados de terreno.

A decisão de renunciar às concessões foi para a empresa, confirmada no início desta semana, foi  “muito decepcionante” para o MAAC que afirmou ter ficado “com poucas opções” para continuar com os trabalhos de prospecção. A Australis lamentou  não ter recebido “nenhum apoio ou ajuda do Governo sentido de receber  informações claras, concisas e precisas” à população e às autoridades municipais sobre as operações que a empresa tinha em curso. A renúncia terá efeito oficial a partir do dia  30 de setembro.

 

 

Fonte: Petro Notícias

 


140 queries in 5,585 seconds