-->
Home | Oil & Gas | Associação mundial nuclear divulga relatório mostrando desempenho global do setor em 2020
Postado em 2 de setembro de 2020 | 19:19

Associação mundial nuclear divulga relatório mostrando desempenho global do setor em 2020

A Associação Mundial Nuclear, dirigida por Agneta Rising, publicou um relatório sobre o desempenho nuclear a nível global. O relatório mostra as tendências internacionais publicações e relatórios sobre tendências globais Agneta Rising diz que a  eletricidade gerada a partir dos reatores nucleares do mundo aumentou pelo sétimo ano consecutivo em 2019, com a produção de eletricidade atingindo 2.657 TWh.

Esse foi um aumento de 95 TWh em relação ao ano anterior e a segunda maior produção de todos os tempos. No final de 2019, a capacidade dos 442 reatores operáveis do mundo era de 392 GWe, contra 397 GWe no final do ano anterior. Desligaram 13 reatores, dos quais quatro estavam no Japão e não geravam eletricidade desde 2011; e três, na Coreia do Sul, Alemanha e Taiwan, foram fechadas prematuramente devido a políticas de eliminação progressiva.

No seu texto publicado e distribuído dentro do relatório, ela revela que Seis reatores começaram a funcionar em 2019. Quatro grandes PWRs começaram a operar, um na Coreia do Sul, um na Rússia e dois na China. Além disso, dois pequenos reatores na primeira usina nuclear flutuante construída para esse fim, localizada na cidade de Pevek, no nordeste da Rússia, começaram a fornecer eletricidade. A nova construção começou em cinco reatores, dois na China e um no Irã, Rússia e Reino Unido.

“Dada a redução da capacidade nuclear geral, o aumento da geração em 2019 é ainda mais notável. No entanto, há uma necessidade urgente de aumentar o ritmo das conexões de rede e de novas construções para expandir a contribuição essencial da energia nuclear para o fornecimento global de energia limpa e alcançar a meta de Harmonia da indústria nuclear.”

O tempo médio de construção de reatores em 2019 foi de 117 meses. Como foi o caso em 2018, vários dos reatores com início em 2019 apresentavam projetos inéditos. Os tempos de construção desde 2015 têm sido mais tipicamente entre cinco a seis anos. Em agosto de 2020, o início do Tianwan 5, após um período de construção de 56 meses, menos da metade da média de 2019; “ isso se deve em parte aos benefícios da experiência adquirida com a construção em série. Embora o reator seja apenas o terceiro deste projeto específico, é um desenvolvimento de um projeto que foi usado para mais de 20 reatores diferentes. Também é em parte resultado de um programa de construção em andamento que ajuda a desenvolver e reter as habilidades da força de trabalho. Onde novos reatores foram implantados com sucesso, é necessário haver um compromisso de repetir essa implantação por meio de construção em série, para aproveitar o aprendizado obtido. O Barakah 1, que entrou em operação em agosto de 2020, será seguido por mais três reatores que se beneficiarão da experiência adquirida no arranque da primeira unidade.”

Em seu texto de abertura do relatório 2020 da WNA, Agneta conclui dizendo que  “Em 2020, a indústria nuclear foi uma parte essencial da resposta à pandemia do coronavírus. Apesar dos desafios de trabalhar em condições seguras para COVID, os operadores nucleares garantiram que os reatores estivessem disponíveis para fornecer eletricidade e estabilidade da rede. Os operadores de reatores também tiveram que responder às marcantes reduções na demanda que foram observadas durante a pandemia e tiveram que operar com mais flexibilidade. Por essas razões, é provável que o relatório do próximo ano mostre uma redução na geração nuclear geral.

Olhando para o futuro, os governos estão considerando como reiniciar suas economias e gerar empregos, bem como cumprir suas metas ambientais e de energia. Cada novo projeto de construção nuclear gera milhares de empregos e impulsiona a economia local, além de contribuir para o nosso objetivo de Harmonia de um mix de eletricidade limpo e confiável.”

 

 

Fonte: Petro Notícias


139 queries in 3,354 seconds