-->
Home | Jornal Multimodal | Por ferrovia até Cuiabá, Fórum quer incluir governador em articulações com a União
Postado em 29 de maio de 2019 | 17:58

Por ferrovia até Cuiabá, Fórum quer incluir governador em articulações com a União

Com a discussão em torno da construção da ferrovia entre Rondonópolis e Cuiabá, o Fórum Pró-Ferrovia quer incluir o governador Mauro Mendes (DEM) na articulação para dar maior peso político e, com isso, intensificar a pressão sobre o Governo Federal para dar celeridade nos tramites políticos e burocráticos que ainda estão emperrando a decisão formal sobre o investimento por parte da Rumo, empresa que detém a concessão da ferrovia.

O presidente do Fórum, Francisco Vuolo, explica que por hora existem dois entraves que estão sendo debatidos, o primeiro é a antecipação da renovação da outorga para a empresa Rumo em relação à malha paulista, que depende de autorização do Tribunal de Contas da União (TCU), e que tem sido colocado pela empresa como condição para garantir a construção da ferrovia até Cuiabá.

Já a construção da ferrovia até Cuiabá seria outro entrave, segundo Vuolo, visto que ainda existem muitas indefinições, como a ausência de um projeto que aponte como deverá ser o modal na Capital.
“A viabilidade econômica já foi apontada pela empresa Rumo ano passado em uma reunião em Cuiabá. Agora precisamos acelerar os processos de destravamento. O senador Jayme Campos (DEM) já nos adiantou todos os ritos que estão sendo tomados em Brasília”.

Vuolo diz ainda que o secretário de Desenvolvimento Econômico (Sedec), César Miranda, vai agendar uma audiência com Mauro, para incluí-lo no processo de discussão pró-ferrovia. O segundo desdobramento da reunião realizada na manhã de hoje (27), na sede da Fecomércio, em Cuiabá, é agendar uma audiência pública com a Rumo, para que apresente o projeto dos trilhos até Cuiabá.

Durante a reunião, algumas questões foram levantadas, como a preocupação do senador Jayme em relação à construção da Ferrogrão, e aparentemente isso tornar inviável a construção da ferrovia até Cuiabá. Jayme justifica o temor, porque a Ferrogrão tem propósito de facilitar o escoamento dos grãos pela região norte, enquanto que a ferrovia até Cuiabá faz parte da rota de escoamento da produção agrícola pelo sul e sudeste do país.

O senador ponderou que ficará atento a essa possibilidade e será um “sentinela em Brasília” para defender os interesses da baixada Cuiabana.

Para o vice-líder do Governo na Câmara, deputado José Medeiros (Pode), a relação entre Ferrogrão e Ferronorte (ferrovia entre Rondonópolis a Sorriso passando por Cuiabá) é outra, sendo que na opinião do parlamentar, o interesse da Rumo em construir a ferrovia até Cuiabá só tem aumentado porque a viabilidade da Ferrogrão é real, e com isso, aumenta o potencial de integração entre as ferrovias, e formar uma malha ferroviária no Estado.

Na avaliação do anfitrião da reunião, o empresário Manoel Procópio, que é 1º vice-presidente da Fecomércio, a classe empresarial está unida para apoiar o projeto da ferrovia até Cuiabá, já que o investimento significará um grande estímulo à produção econômica da Capital e da baixada Cuiabana.

Fonte: RDNews


141 queries in 2,652 seconds