-->
Home | Jornal Multimodal | PIB do Brasil cai 4,1% em 2020, menos do que o previsto
Postado em 3 de março de 2021 | 18:43

PIB do Brasil cai 4,1% em 2020, menos do que o previsto

A economia brasileira encolheu no ano passado em 4,1% em meio à pandemia, segundo dados divulgados na quarta-feira, a pior queda em décadas, mas não tanto quanto se esperava inicialmente devido às transferências de renda para os pobres.

A maior economia da América Latina cresceu 3,2% no quarto trimestre, de acordo com o IBGE, mais do que a mediana de 2,8% estimada em pesquisa da Reuters com economistas.

Ainda assim, uma segunda onda de COVID-19 matou brasileiros em números recordes nas últimas semanas, obscurecendo as perspectivas econômicas e aumentando os temores de uma nova desaceleração no início deste ano.

A queda em todo o ano de 2020 foi a pior desde que a atual série do IBGE começou em 1996. A queda de 2020 também foi a pior desde a queda de 4,35% no PIB registrada em 1990, de acordo com dados do Banco Central de 1962, e a terceira. mais íngreme dessa série.

Entre as previsões mais sombrias no início da pandemia, o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional estimam que o PIB do Brasil em 2020 encolheria 8% e 9,1%, respectivamente.

A expansão de 3,2% no quarto trimestre foi liderada pelo crescimento de 2,7% nos serviços, expansão de 3,4% no consumo das famílias e um aumento de 20% no investimento em empresas fixas, disse o IBGE.

“Tivemos uma grande queda (de atividade) no ano passado, mas com o socorro emergencial foi bem menor do que o previsto inicialmente. Poderia ter sido muito pior … mas as finanças públicas estão muito frágeis ”, disse Alexandre Almeida, economista da CM Capital em São Paulo.

As transferências de dinheiro do governo para milhões de famílias pobres no ano passado totalizaram cerca de 322 bilhões de reais (US $ 56,5 bilhões), um aumento fiscal de cerca de 4,5% do PIB.

O México, que não forneceu um pacote de apoio fiscal tão generoso, viu sua economia cair 8,5% no ano passado.

Ao longo do ano, porém, apenas a agropecuária brasileira apresentou crescimento positivo, 2% superior ao de 2019. Os serviços e o consumo das famílias caíram 4,5% e 5,5%, respectivamente, devido à COVID-19 e às restrições para combater sua disseminação.

O PIB per capita caiu 4,8%, disse o IBGE, a queda mais acentuada desde pelo menos 2000.

Os números do IBGE mostram que a atividade econômica ainda está 1,2% abaixo do nível do final de 2019 e 4,4% abaixo do pico de 2014.

 

 

 

Fonte: O Petróleo


145 queries in 4,025 seconds