-->
Home | Jornal Multimodal | Para satisfazer clientes, é preciso mudar a gestão logística, diz especialista
Postado em 9 de março de 2021 | 19:04

Para satisfazer clientes, é preciso mudar a gestão logística, diz especialista

Gestão tradicional não viabiliza a análise e resolução dos problemas, por isso defende-se que a gestão logística deve ser repensada. O principal desafio das operações logísticas no Brasil é conseguir atender de forma eficiente a alta demanda de entregas, com precisão, qualidade e rapidez, tornando-se, assim, um agregador de valor aos clientes e não mais um gerador de insatisfações e reclamações.

A avaliação é de Alvair Torres, head de logística lean do Lean Institute Brasil. Segundo o especialista, por causa das inovações tecnológicas, das mudanças de hábitos de consumo e da pandemia, os setores de logística das empresas vem sendo cada vez mais demandados.

O crescimento do e-commerce brasileiro no primeiro semestre do ano passado, por exemplo, foi de 56,8%, alcançando R$ 41,92 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Em paralelo, houve um aumento de 285% nas reclamações sobre o setor em 2020, sendo “atraso” ou “não entrega” as maiores queixas dos consumidores, informou o Procon de São Paulo.

“As mudanças sociais estão exigindo que os setores de logística trabalhem cada vez mais com altíssimas variedades e volumes de produtos, em prazos cada vez mais curtos. Muitos desses setores não estão preparados para essa ‘explosão’ e pressão da demanda.”

Ainda segundo o especialista, isso porque, de forma geral, a gestão tradicional da logística vê a operação de forma “segmentada”.

“Ela enxerga de maneira muito separada as operações: o recebimento, a conferência, o abastecimento do estoque, o planejamento das ondas de separação, a conferência, o faturamento, o transporte, a expedição… Cada um com a sua competência. Porém, a gestão tradicional não opera de forma correta as conexões entre essas operações. E é aí que surgem os principais problemas.”

Para resolver essa falha estrutural, Torres defende a adoção na logística do sistema lean, filosofia de gestão originária do modelo Toyota que visa, em resumo, aumentar a agregação de valor, eliminar desperdícios, resolver problemas e melhorar continuamente os processos.

O sistema lean aplicado à logística supera o olhar segmentado da gestão tradicional ao analisar o fluxo como um todo, de ponta a ponta. Com isso, possibilita enxergar, processo por processo, as conexões entre eles, permitindo identificar problemas, buscar soluções e padronizar os processos para que não ocorram desvios.

“A gestão lean traz, entre outras coisas, o conceito de gerenciamento diário para a logística, na qual as equipes medem e analisam diariamente, de forma rápida e prática, a performance, visando ver os problemas assim que eles ocorrem e adotar soluções definitivas.”

 

Para o especialista, esse é o intuito do curso on-line “Gestão logística: atingindo alta performance com lean”, que o Lean Institute Brasil está lançando no mercado brasileiro.

Dividido em cinco grandes módulos, totalizando pelo menos oito horas de estudos, o curso fornece um panorama detalhado sobre como aplicar o sistema lean nas operações logísticas em toda a cadeia de suprimentos.

“Os profissionais aprendem a enxergar as causas dos problemas, a evitar que eles voltem a acontecer, e a implementar uma estabilidade que tradicionalmente a logística não tem. Eles entendem como enxergar as operações logísticas de forma integrada e, assim, conseguem fazer melhorias sistêmicas. Além disso, desenvolve as habilidades e os comportamentos necessários para transformar a gestão tradicional”.

 

 

 

Fonte: Mundo Logística

 


134 queries in 11,201 seconds