-->
Home | Jornal Multimodal | Monitainer lança sistema para atender Portaria 17 da Receita Federal
Postado em 4 de março de 2021 | 17:09

Monitainer lança sistema para atender Portaria 17 da Receita Federal

Monitainer lança sistema para atender Portaria 17 da Receita Federal. A Monitainer desenvolveu uma solução que disponibiliza ferramentas para atender à Portaria 171 da Receita Federal de uma gestão de risco mais eficiente. O produto, chamado de iMonitor, foi criado para integrar todos os dados da cadeia logística de exportação. A plataforma gera alertas ao identificar inconformidades no processo operacional padrão e está adequada a todas as normas em vigor com a disponibilização e troca eletrônica de dados com as autoridades governamentais.

“Captamos as imagens da rede atual de câmeras dos terminais, por meio da instalação de um VPN. Para isso, instalamos equipamentos de segurança e nosso software recebe as imagens e salva em uma nuvem do nosso Data Center por até 90 dias, com total segurança à informação. Assim, o Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação (Redex) não precisa investir em infraestrutura de servidores ou contratar colaboradores para organizar as filmagens por pasta ou até mesmo ficar procurando por elas quando necessário”, explica o diretor da Monitainer e especialista em gestão e monitoramento de cargas, José Roberto Mesquita Filho.

Outra grande vantagem do iMonitor destacada pela empresa está no fato de a tecnologia ser ofertada no modelo de prestação de serviços. “Nós já contávamos com uma plataforma com imagens para os processos de monitoramento por lacre eletrônico. Agora, adequamos o serviço de imagens a Portaria 171, permitindo a conexão das câmeras e o espelhamento das filmagens à Receita, além da guarda das mesmas”, frisa. O lacre eletrônico faz parte do pacote de serviços de gerenciamento de riscos oferecido pela Monitainer.

O executivo afirma que a exigência e o uso da tecnologia com inteligência é um avanço importante para a seguridade das cargas no setor portuário. Os terminais têm um prazo razoável para se adequarem e atenderem a nova determinação. No entanto, completa Mesquita, precisam ficar atentos, pois perder o alfandegamento é infinitamente mais prejudicial do que uma multa aplicada pelo descumprimento da norma, pois não é um valor fixo.

Norma

A Receita Federal vai ampliar, a partir de abril de 2021, a fiscalização dos Redex, conforme divulgado pela Portaria 171, publicada pelo órgão regulador no Diário Oficial da União (DOU).

Para que a norma seja atendida, os terminais deverão contar com um sistema de monitoramento e vigilância por câmeras capaz de captar imagens com nitidez, inclusive à noite, por meio de equipamentos de gravação contínua, abrangendo as áreas de armazenagem, conferência física e estufagem, assim como os pontos de entrada e de saída de cargas, veículos e pessoas, cobrindo um período mínimo de 90 dias corridos. O descumprimento da determinação terá como pena a perda do alfandegamento.

Diante da nova regra, as instalações têm o prazo de 180 dias para se adequar. Até então, apenas Terminais Alfandegados de Importação tinham a obrigação de armazenar essas imagens. A nova exigência criará maior transparência do operador Redex e, ainda, ampliará a presença remota da fiscalização podendo, inclusive, permitir melhores resultados em investigações futuras.

Para atender a nova exigência da Receita Federal, o terminal tem a opção de contratar um técnico particular, que deverá integrar o sistema da instalação ao da Alfândega, de forma que o órgão regulador possa acessar as imagens em tempo real (streaming) ou gravadas (storage). As imagens deverão ficar disponíveis em uma nuvem para serem acessadas por até 90 dias. A outra possibilidade é buscar o serviço pronto no mercado.

 

 

 

 

Fonte: Tecnologistica


143 queries in 3,323 seconds