-->
Home | Jornal Multimodal | Exportação brasileira de suco cai 23,5% de julho a dezembro de 2020
Postado em 19 de janeiro de 2021 | 20:01

Exportação brasileira de suco cai 23,5% de julho a dezembro de 2020

A exportação brasileira de suco de laranja registrou queda de 23,5% de julho a dezembro de 2020, que corresponde ao primeiro semestre da safra 2020/21. Foram embarcadas 497.490 toneladas do produto (FCOJ Equivalente a 66º Brix), em comparação com 650.459 t em igual período da safra anterior. Os dados, divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), foram compilados pela Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR) e divulgados nesta terça-feira, 19.

Em faturamento, as exportações somaram no período US$ 680,029 milhões, montante 35,9% menor do que a receita de US$ 1,062 bilhão registrada entre julho e dezembro de 2019. O diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto, informou em comunicado que as principais razões para a baixa continuam sendo a alta produção de suco na safra passada e a consequente recomposição nos estoques do produto.

Conforme o diretor-executivo da CitrusBR, “na safra passada tivemos uma produção de 1,2 milhão de toneladas de suco, 37,4% acima do período anterior. Isso permitiu recompor os estoques internacionais de suco brasileiro”. Em 30 de junho de 2019 os estoques globais de suco de laranja em poder das empresas associadas à CitrusBR eram de 253.181 t. Após o processamento da safra 2019/20, 36% maior que anterior e meses de ritmo forte de embarques, esses estoques foram recompostos a 471.138 t em 30 de junho de 2020.

Netto acrescentou que, em virtude da bienalidade da citricultura, que alterna anos de maior e menor produção, esse fenômeno tem sido comum. Em anos de safras maiores as exportações são mais intensas em comparação a safras menores nos meses iniciais de cada ano safra. “Isso não significa que as exportações serão menores nesta temporada, mas indica, por enquanto, uma necessidade menor de ser transferir produto para os pontos de venda mundo afora”, analisa.

 

 

 

Fonte: Isto é Dinheiro


139 queries in 6,224 seconds