-->
Home | Jornal Multimodal | Exportação brasileira à Jordânia tem integração eletrônica
Postado em 26 de agosto de 2021 | 17:15

Exportação brasileira à Jordânia tem integração eletrônica

Câmara Árabe e Alfândega jordaniana anunciaram nesta semana, em Amã, a migração completa para o digital do despacho aduaneiro na exportação do Brasil ao país árabe.

A documentação das exportações brasileiras à Jordânia passará a ser emitida e verificada de forma eletrônica a partir de 15 de setembro deste ano. A migração do processo físico para o digital foi anunciada oficialmente em Amã, capital do país árabe, nesta semana pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira e a Alfândega da Jordânia. Na foto acima, reunião com autoridades envolvidas. 

O secretário-geral e o CEO da Câmara Árabe, Tamer Mansour, e o gerente de Tecnologia da Informação da instituição, Marcos Bulgarelli, estiveram na Jordânia para acertar os trâmites, fazer os testes finais no sistema e participar do lançamento. A Jordânia foi o primeiro país árabe com o qual a Câmara Árabe assinou o acordo na área, em 2018. “É uma iniciativa inédita”, disse Mansour à reportagem da ANBA.

Na metade de setembro, assim que a novidade entra em vigor, não haverá mais a necessidade de checagem dos documentos em papel, já que isso será feito de forma totalmente eletrônica. Em alguns casos, os países fazem a digitalização dos documentos, mas ainda assim complementam o processo com a verificação física. Com a Jordânia, tudo vai para o digital.

Na prática, isso significa a implementação do despacho aduaneiro digital. O processo será feito por meio do Easy Trade, sistema de blockchain que faz parte de uma plataforma digital da Câmara Árabe chamada Ellos. Os documentos digitalizados ficam disponíveis eletronicamente para checagem e validação pelas autoridades competentes no país de destino da carga.

Mansour afirmou à ANBA que com a integração haverá um desembaraço mais rápido, fácil e barato. “Reduzirá o tempo de despacho da mercadoria e o custo do papel físico”, disse o secretário-geral. Ele acredita que a facilitação vai incentivar as exportações brasileiras para a Jordânia. Depois dessa primeira fase, começarão os trabalhos para implementar o mesmo processo na outra via, na exportação da Jordânia ao Brasil.

 

 

Fonte: ANBA


145 queries in 3,432 seconds