-->
Home | Jornal Multimodal | Dólar recua com melhora de cenário político e falas de Campos Neto
Postado em 21 de maio de 2020 | 17:22

Dólar recua com melhora de cenário político e falas de Campos Neto

Roberto Campos Netto disse que reservas cambiais estão saudáveis e que autarquia poderia atuar “até onde for necessário”; Dória e Bolsonaro selam “paz”.

O dólar recua frente ao real, nesta quinta-feira, 21, com a melhora do cenário político local, após a reunião do presidente Jair Bolsonaro com governadores e presidentes do Senado e da Câmara. As declarações do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de que a autarquia pode aumentar a atuação no mercado de câmbio também pressionam a moeda para baixo. Às 13h20, o dólar comercial caía 1,6% e era vendido por 5,560 reais. O dólar turismo cai 0,2%, cotado a 5,91 reais.

Em reunião organizada para pedir veto ao aumento dos salários dos servidores públicos, Bolsonaro se mostrou mais flexível e selou uma trégua com o governador do estado de São Paulo, João Dória, com quem vinha trocando farpas sobre a questão do isolamento social. Dória chegou a exaltar a forma com a reunião foi conduzida e disse que seguiria “em paz”, pois “a guerra coloca todos em derrota”.

“A diminuição da tensão política é o principal fator para a queda do dólar. Havia muito risco político no preço”, afirmou Pablo Spyer, diretor de operações da Mirae Asset. Segundo ele, ainda há espaço para o real se fortalecer mais. “Caiu bem a volatilidade implícita do dólar. Com o medo diminuindo, fica mais fácil para o dólar cair”, disse.

Na véspera, em live da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), Campos Netto disse que as reservas brasileiras estão saudáveis e que a autarquia poderia usá-las “até onde for necessário”.

Jefferson Ruik, diretor de câmbio da Correparti, vê as declarações do presidente do BC como um gatilhos para o fortalecimento do real neste pregão. “O especulador, na hora de montar posição em dólar, pensa duas vezes com receio de que o BC faça intervenções na moeda. Então, eles começam a desmontar posições”, disse.

Entre as principais divisas emergentes, o real é a que mais se valoriza nesta quinta. Assim como tem feito nas últimas sessões, o BC voltará a fazer oferta de swap cambial. Hoje, o leilão programado será de até 12 mil contratos de swap. Na última sessão, o dólar caiu 1,2%, com os investidores otimistas com a reabertura das principais economias do mundo, em especial a americana.

No cenário externo, os investidores repercutem a escalda de tensões sino-americanas. Ontem, o presidente Donald Trump voltou a usar sua página do Twitter para acusar a China de ser responsável pela pandemia do coronavírus covid-19. Trump também acusou a China de fazer uma campanha de desinformação para favorecer seu concorrente, o democrata Joe Biden, na corrida pela Casa Branca.

Em mais um sinal de agravamento da disputa comercial entre os dois países, o Senado americano passou uma lei que pode excluir empresas chinesas de bolsas americanas por nãos seguirem as leis de valores mobiliários dos Estados Unidos.

Por aqui, as atenções estão voltadas para a reunião do presidente Jair Bolsonaro com governadores. Segundo Ruik, o mercado espera que o presidente direcione a conversa para tentar impedir aumento de salários por parte dos entes federativos. “Se autorizar o aumento para o funcionalismo ele estará indo contra o Paulo Guedes.”

Fonte: Reuters

142 queries in 4,087 seconds