-->
Home | Jornal Multimodal | Deputados vão debater reajuste do Portus
Postado em 1 de março de 2018 | 18:01

Deputados vão debater reajuste do Portus

A contratação conjunta de uma auditoria independente para averiguar as contas do Portus, o fundo de pensão dos funcionários nas administrações portuárias, e o adiamento do seu reajuste serão temas de uma reunião na próxima quarta-feira (7) , em Brasília. Esta será uma tentativa de resolver o problema que afeta quase 5 mil trabalhadores e aposentados do Porto de Santos.

No encontro, estarão presentes deputados federais de vários estados, entre eles os três da região. João Paulo Papa (PSDB), Beto Mansur (PRB) e Marcelo Squassoni (PRB). Também está prevista a participação do interventor do Portus, Luís Gustavo da Cunha Barbosa, e do presidente da Associação Brasileira de Entidades Portuárias e Hidroviárias (Abeph), José Alex Oliva (que também é presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo, a Codesp). O presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP), Eduardo Guterra, representará os sindicatos do setor.

Os trabalhadores e aposentados são contra o reajuste proposto pelo Portus. O fundo pretende, a partir de 1º de abril, aumentar o desconto nos benefícios pagos aos assistidos de 10% para 28,77%. O valor pago pelos trabalhadores da ativa irá de 9% para 27,75% do salário. Essas medidas foram propostas para equacionar a dívida do fundo, que chegou a R$ 3,5 bilhões no fim do ano passado.

“Se as duas partes concordarem em contratar um escritório que vai definir os critérios e cálculos, já será um avanço”, destacou Papa, que participou, ontem, de uma reunião sobre o tema com Mansur, Squassoni, Oliva e outros parlamentares.

“Conseguirmos ao menos adiar o plano de custeio por 180 dias é crucial para tentar contornar a situação do Portus”, disse Squassoni. “Conversei com o interventor e destaquei que os valores dos cálculos são pesados e desproporcionais. Desse jeito, muitos que estão na ativa vão deixar de pagar e a situação pode se agravar”, afirmou Mansur.

A ideia é que a FNP e a Abeph contratem uma auditoria independente para avaliar a situação do Portus e propor uma solução. Na próxima reunião, os envolvidos ainda esperam obter uma posição favorável ao adiamento do reajuste.

O apoio dos deputados e o possível adiamento do reajuste foram comemorados pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Portuária, Everandy Cirino. “Adiar é a coisa certa”, disse.

Fonte: A Tribuna

Deixe um comentário:

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*


150 queries in 3,619 seconds