-->
Home | Jornal Multimodal | Buzinas de trens provocam discórdia em duas cidades do interior de São Paulo
Postado em 17 de abril de 2019 | 17:46

Buzinas de trens provocam discórdia em duas cidades do interior de São Paulo

As buzinas de trens se tornaram alvo de discussão em dois municípios da região central de São Paulo. Apontadas como barulhentas, elas fizeram moradores de São Carlos e de Ibaté registrarem queixas no MPF (Ministério Público Federal).

O órgão expediu uma recomendação à Rumo Malha Paulista, concessionária da ferrovia, para que resolva os problemas provocados pelas buzinas das locomotivas que percorrem as áreas urbanas das duas cidades.

De acordo com o MPF, o total de moradores que procuraram o órgão tem crescido desde o ano passado e o barulho é superior ao permitido pela legislação ambiental, conforme medição feita pela Cetesb (companhia ambiental de São Paulo).

Níveis elevados de poluição sonora provocam riscos à saúde e perturbam o sossego dos moradores, principalmente se forem à noite, segundo o órgão. No passado, o trecho foi operado pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro, tendo sido posteriormente incorporado à Fepasa (Ferrovia Paulista S.A.) e, depois, nos anos 90, à Rede Ferroviária Federal.

Na solicitação à Rumo, o MPF pede ainda que a concessionária adote medidas para resolver o problema e apresente um procotolo que contemple a adoção de outras medidas de segurança ferroviária. Um exemplo citado foi controlar o som por meio de isolamento acústico nos trechos urbanos cortados pelos trilhos –como ocorre em alguns pontos de rodovias como a Bandeirantes, no entorno da capital.

Como mostrado aqui, num período de quatro meses, no fim de 2018, ao menos 14 pessoas foram atropeladas em vias férreas no país, das quais 13 morreram. Por isso, no interior paulista, ferrovias passaram a ter “túneis” para pedestres.

Nesta segunda-feira (15) está prevista uma reunião entre procuradores de São Carlos e a Rumo para discutir o assunto. Se a concessionária não acatar a solicitação, serão tomadas medidas legais, segundo o MPF.

“Além da questão da poluição sonora, o Ministério Público Federal possui outros procedimentos que tratam da relação da Rumo Malha Paulista com as cidades de São Carlos e Ibaté, os quais tratam de melhorias no transporte ferroviário e da segurança na linha férrea que atravessam as cidades”, informou o órgão, por meio de um comunicado.

Já a Rumo informou, via assessoria, que as suas operações seguem todas as normas vigentes e que a buzina das locomotivas é um item essencial de segurança para a operação e da população.

A empresa informou ainda que segue as orientações da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e que “os maquinistas são periodicamente treinados para seguir corretamente o uso deste dispositivo”.

Fonte: Folha Online


145 queries in 2,574 seconds