-->
Home | Jornal Multimodal | Algeciras investe em inovação para reduzir burocracia e custos
Postado em 17 de outubro de 2018 | 18:51

Algeciras investe em inovação para reduzir burocracia e custos

Principal porto do Mar Mediterrâneo e o quarto da Europa em movimentação de cargas, Algeciras, no Sul da Espanha, não quer perder seu papel de destaque no cenário econômico do continente. Para isso, aposta em uma série de medidas, que vão desde a implantação de um novo terminal de contêineres e de uma nova zona logística em sua retroárea a investimentos em inovações e a adoção de novas tecnologias, a fim de reduzir a burocracia e o custos operacionais.

Essas iniciativas foram apresentadas pelo presidente da Autoridade Portuária da Bahia de Algeciras (APBA), Manuel Morón Ledro, e seus técnicos nesta terça-feira (16), durante reunião com executivos do Porto de Santos e autoridades do cais santista e do Governo Federal, em visita à região. A viagem integra a programação da edição deste ano do Santos Export Brasil – Fórum Internacional para a Expansão dos Portos do Brasil, promovida pelo Grupo Tribuna e a Una Marketing de Eventos.

Para Ledro, essa série de projetos desenvolvidos pelo principal complexo marítimo do Mediterrâneo – que no ano passado movimentou 102 milhões de toneladas de cargas, incluindo 4,4 milhões de TEU (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés) – tem o objetivo de prepará-lo para os desafios dos próximos anos. Uma das ações que serão realizadas é a implantação de um novo terminal de contêiner, na área de expansão da zona de Isla Verde, na parte oeste do complexo, ao lado do terminal de contêineres da TTI e que tem 370 mil metros quadrados. Atualmente, a autoridade portuária negocia com empresas a exploração da área.

Outra iniciativa é a implantação da nova zona logística de San Roque, destinada à operação de contêineres e que será localizada na retroárea do porto, nas proximidades da linha ferroviária Algeciras-Bobadilla. Segundo Ledro, este projeto é voltado principalmente para as operações de importação e exportação de Algeciras, criando uma nova área de armazenagem de 120 hectares (1,2 quilômetro quadrado) para essas cargas foram da zona marítima, cujos espaços podem continuar sendo destinados às operações. A zona logística irá ampliar a capacidade operacional do porto. É o que garante Alejandro Rego, gerente de serviços ao cliente do terminal de contêineres da APM em Algeciras, o maior do Mediterrâneo.

Outra linha de ação da Autoridade Portuária da Baía de Algeciras é o projeto de digitalização de suas operações, adotando novas tecnologias para ampliar o monitoramento de suas atividades e compartilhar os dados captados com seus players. Com isso, busca-se reduzir o tempo das operações logísticas e, consequentemente, seus custos. A adoção de medidas iniciais permitiu ao complexo reduzir em ao menos 20% o tempo total médio de suas atividades (considerando toda a cadeia logística). Entre os índices reduzidos, está o tempo de espera para o navio atracar, explicou o chefe da área de desenvolvimento tecnológico, Francisco de los Santos Ramos.

Fonte: A Tribuna

Deixe um comentário:

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*


145 queries in 2,964 seconds