-->
Home | Jornal Multimodal | AEB revisa projeção de exportações e importações para 2020
Postado em 28 de julho de 2020 | 17:56

AEB revisa projeção de exportações e importações para 2020

A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) apresentou, nos últimos dias, a revisão da Balança Comercial para 2020. De acordo com os dados projetados, a queda na corrente de comércio será de 15,4%.

As exportações deverão atingir US$ 192,721 bilhões, em 2020, o que significa queda de 13,9% em relação aos US$ 223,989 bilhões efetivados em 2019. O setor mais afetado será o de manufaturados (-27,3%). As importações também registrarão queda de 18,1% em relação a 2019 (devem fechar em US$ 145,255 bilhões em 2020 contra os US$ 177,344 bilhões de 2019). Combustíveis e lubrificantes terão redução de 38%. Com isso, haverá superávit de US$ 47,466 bilhões em 2020.

Segundo nota divulgada pela entidade, isoladamente, a pandemia pelo novo coronavírus tem sido a origem de todos os impactos econômicos negativos em 2020, porém outros fatores têm contribuído para as oscilações constantes nas projeções, fazendo com que uma avaliação realizada no cenário de hoje, amanhã possa se tornar obsoleta. Entre os fatores estão a guerra comercial entre EUA e China; o boicote à OMC pelos EUA e a eleição de seu diretor-geral; a eleição para a presidência dos EUA; o elevado e crescente desemprego no mundo; o agravamento da crise econômica na Argentina; a quase unanimidade de PIBs negativos mundiais; o fortalecimento do dólar e o enfraquecimento das moedas; etc.

A previsão anterior da AEB, para 2020, divulgada em 18 de dezembro passado, mostrava exportação de US$ 217,341 bilhões, importação de US$ 191,211 bilhões e superávit de US$ 26,130 bilhões.

Apesar de fortes oscilações de preços e quantum dos três principais produtos da pauta de exportação, soja, petróleo e minério de ferro aumentarão sua representatividade para 34%, beneficiadas pela queda dos manufaturados, consolidando o peso das commodities nas exportações e no superávit comercial, reforçando a imperiosa necessidade de reformas estruturais para reduzir o Custo-Brasil e gerar competitividade nas exportações de manufaturados;

A AEB destaca que, pelos dados projetados de exportação e importação para 2020, o Brasil deverá ocupar a 30ª posição no ranking de exportação e 31ª de importação, com a participação nas exportações mundiais devendo ser reduzida para ao redor de 1%.

 

 

Fonte: AEB


141 queries in 3,292 seconds