-->
Home | Highlights | Marinha e Ibama investigam mancha de óleo no Estuário de Santos
Postado em 3 de dezembro de 2018 | 18:15

Marinha e Ibama investigam mancha de óleo no Estuário de Santos

Equipes da Marinha e do Ibama analisam uma mancha de óleo que surgiu no Porto de Santos, perto da região da Alemoa, neste domingo (2).

De acordo com a agente ambiental federal do Ibama, Ana Angélica Alabarce, a mancha foi percebida por técnicos da Codesp, que imediatamente acionaram a Cetesb. ”É uma mancha significativa, mas que está finalizando. Nos preocupou pelo tamanho, que poderia chegar a áreas de mangue, afirmou, na manhã desta segunda-feira (3)”.

Em nota, a Codesp esdclarece que a mancha foi detectada por volta das 15 horas de domingo, entre a saída do Canal de Piaçaguera e a região da Alemoa.

”A Codesp acionou, de imediato, os órgãos ambientais (Ibama e Cetesb) e promoveu uma vistoria de barco, com auxílio de drone, na área. Na oportunidade verificou-se tratar-se de uma mancha iridescente que, com o movimento da maré, tendeu a se concentrar nas imediações do píer da Alemoa”.

A estatal acionou o Plano de Emergência Individual (PEI) e a empresa Brasbunker (contratada pela Autoridade Portuária) realizou trabalhos de mitigação no local da ocorrência até o final da tarde de domingo.

”Nesta segunda-feira (3), está sendo realizada nova vistoria pela Codesp para avaliação do cenário e das medidas a serem tomadas. Até o momento não foi possível identificar a origem do óleo, mas a investigação sobre a responsabilidade do provável vazamento está em andamento pelos órgãos ambientais”.

Por meio de nota, a Companhia Docas do Estado de São Paulo também se pronunciou sobre o ocorrido alegando que a origem da mancha de óleo ainda não foi identificada.

“Hoje (3), a equipe de meio ambiente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), acompanhada de representantes do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) e da Capitania dos Portos de São Paulo, realizou nova vistoria e verificou algumas manchas esparsas nas proximidades do Píer da Alemoa, em pouca quantidade e de espessura ainda mais fina. Foram realizados trabalhos de mitigação pela empresa contratada Brasbunker (Plano de Emergência Individual – PEI – da Codesp), estes finalizados por volta das 11h. A origem da mancha de óleo ainda não foi identificada, mas os órgãos ambientais continuam com os trabalhos de investigação”.

Fonte: A Tribuna

Deixe um comentário:

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*


157 queries in 3,182 seconds