-->
Home | Highlights | Cenário instável por trás do aumento de 2% no transporte aéreo de carga
Postado em 8 de novembro de 2018 | 18:26

Cenário instável por trás do aumento de 2% no transporte aéreo de carga

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) divulgou os dados sobre os mercados globais de carga aérea, mostrando que a demanda, medida em quilômetros por toneladas de carga (FTKs), aumentou 2% em setembro de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado.

Este ritmo de crescimento manteve-se praticamente igual ao mês anterior, mas foi menor que a metade da média de crescimento de cinco anos de 5,1%.

A capacidade de transporte de carga, medida em quilômetros por toneladas de carga disponíveis (AFTKs), aumentou 3,2% em setembro de 2018 em relação ao ano passado. Esse foi o sétimo mês consecutivo em que o aumento da capacidade superou o aumento da demanda. Porém, os rendimentos parecem estar no mesmo nível.

A baixa taxa de crescimento é resultado de fatores que incluem a forte confiança do consumidor, um cenário robusto de investimentos globais e a expansão do comércio eletrônico internacional. Apesar disso, o setor de transporte aéreo de carga sofre uma leve desaceleração de aspectos importantes que impulsionam a demanda:

Grande redução global no número de pedidos de exportação das empresas de manufatura, a primeira desde junho de 2017. As exportações diminuíram em todos principais países exportadores em setembro de 2018, com exceção dos Estados Unidos.

Os fabricantes da Ásia e Europa, as duas principais áreas de comércio global em volume, estão oferecendo prazos de entrega mais longos. Isso quer dizer que eles não precisam tanto de entregas rápidas por meio de transporte aéreo.

“A demanda por transporte aéreo de carga aumentou 2% em setembro de 2018, bem abaixo da média de cinco anos de 5,1%. O enfraquecimento das exportações e os prazos de entrega mais longos reduzem a necessidade de transporte aéreo em muitos mercados tradicionais. Mas também temos notícias positivas. Por exemplo, a forte confiança do consumidor anda de mãos dadas com a expansão do comércio eletrônico internacional, dois fatores que dão força ao transporte aéreo de carga. O recado principal para o setor é a necessidade de modernizar os processos. A adoção do conhecimento aéreo eletrônico como documento padrão em rotas comerciais ativadas a partir de 2019 representou um progresso para o setor, mas há muito mais a ser feito com os governos e a cadeia de fornecimento para colocar os processos de carga aérea na era moderna”, disse Alexandre de Juniac. Diretor Geral e CEO da IATA.

Desempenho por região

Todas as regiões relataram aumento da demanda em setembro de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado, exceto a África, que apresentou queda na demanda.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram aumento de 1,2% no transporte aéreo de carga em setembro de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado, porém a taxa foi menor que a do mês anterior. O enfraquecimento das exportações, principalmente do Japão, da China e Coreia, afetou a demanda, assim como as interrupções nas operações de transporte aéreo de carga causadas pelo tufão. Como a maior região de transporte aéreo de carga, responsável pelo transporte de mais de um terço do total da carga, são grandes os riscos de medidas protecionistas. A capacidade aumentou 1,2%.

O volume de transporte aéreo de carga das companhias aéreas da América do Norte aumentou 1,5% em setembro de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado. A capacidade aumentou 4,9% no mesmo período. O recente fortalecimento da economia dos Estados Unidos e do consumo na região ajudou a impulsionar a demanda por carga aérea, beneficiando as companhias áreas dos Estados Unidos. Porém, a demanda internacional de carga aérea caiu significativamente em setembro. Isso contribuiu para que a demanda de carga anual caísse, atingindo uma baixa de 28 meses de 1,5% em setembro.

As companhias de transporte aéreo de carga da Europa registraram aumento de 1,5% em setembro de 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior. A capacidade aumentou 0,9% em relação ao ano passado. A demanda internacional de carga aérea caiu significativamente em setembro. Isso contribuiu para que a demanda de carga anual caísse, atingindo uma baixa de 30 meses de 1,2% em setembro. Assim como aconteceu com a desaceleração na América do Norte, é cedo demais para dizer se este é o início de um enfraquecimento mais amplo da demanda.

As companhias de transporte aéreo de carga do Oriente Médio registraram em setembro de 2018 o maior aumento entre todas as regiões, que foi de 6,6% na demanda por transporte aéreo na comparação com o mesmo período do ano passado. Essa taxa é mais do que o dobro do aumento das outras regiões. A demanda por transporte aéreo de carga com ajuste sazonal apresenta sinais de recuperação, devido à atividade comercial mais intensa entre a Europa e a Ásia. A capacidade aumentou 7,7% em relação ao ano passado.

As companhias de transporte aéreo de carga da América Latina registraram aumento na demanda de 2,9% em setembro de 2018 em relação ao mesmo período do ano passado, e a capacidade aumentou 4,3%. Alguns mercados menores da região registraram um forte crescimento nos volumes de transporte de carga internacional até agora neste ano. Contudo, a recuperação mais ampla da demanda observada nos últimos 19 meses foi interrompida.

As companhias de transporte aéreo de carga da África apresentaram redução na demanda de 2,1% em setembro de 2018 em relação ao mesmo mês do ano passado. Esta foi a sexta vez em sete meses que a demanda caiu. A capacidade aumentou 6,2% na comparação com o ano passado. Após um pico da demanda no fim de 2017, os volumes de frete internacional com ajuste sazonal pararam de cair e se recuperaram nos últimos meses, mas continuam 6% abaixo do pico de novembro de 2017. Continua fraca a demanda em todos os principais mercados que fazem negócios com a África.

Fonte: Aviação Brasil

Deixe um comentário:

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*


155 queries in 2,668 seconds