-->
Home | Anote | Teca do aeroporto de Florianópolis computa resultados positivos
Postado em 14 de outubro de 2020 | 17:16

Teca do aeroporto de Florianópolis computa resultados positivos

Apenas em setembro, estrutura movimentou 213 toneladas de cargas, recorde do terminal e superando em 35% a melhor marca registrada. O Terminal Internacional de Cargas do Aeroporto de Florianópolis, administrado pelo grupo Zurich Airport por meio da subsidiária Floripa Airport, anuncia que registrou movimentação recorde em setembro. Ao todo, o aeroporto movimentou 213 toneladas de mercadorias no mês, o dobro de setembro de 2019. O valor CIF (custo, seguro e frete) das cargas foi o maior da história do Teca Florianópolis, superando em 35% o recorde anterior.

De acordo com a Floripa Airport, os dados demonstram a consolidação da rota cargueira regular entre Miami, nos Estados Unidos e Florianópolis, que começou a ser operada pela Latam Cargo, semanalmente, no último dia 10 de agosto. Com isso, a empresa divulga que a carteira de novos clientes praticamente dobrou em setembro.

Os indicativos de eficiência também apresentam números positivos. O índice de liberação de cargas em 24 horas foi de 73%, por exemplo, enquanto o Canal Verde chegou a 98,60%.

Ao assumir a operação do aeroporto de Florianópolis, em janeiro de 2018, a Floripa Airport identificou o potencial para cargas do aeroporto e implementou, dentro do processo de construção do novo terminal de passageiros, melhorias de infraestrutura para também atender aeronaves cargueiras.

Entre as melhorias estão a ampliação da pista principal de pouso e decolagem, construção de taxiway, alargamento da pista com a implementação de acostamentos, aumento da capacidade de pátio, construção de áreas de segurança nas cabeceiras, as chamadas RESA, além de reformas e revitalização do terminal de cargas e do espaço destinado à Receita Federal.

Assim, em outubro de 2019, o aeroporto recebeu a homologação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operação com aeronaves maiores, de códigos D e E, como os cargueiros.

Outra iniciativa para garantir a operação das aeronaves de grande porte foi a chegada da Dnata, empresa de atividade de rampa (Ground Handling), especializada no atendimento de aviões de categoria E, um serviço que o aeroporto da capital catarinense ainda não tinha.

 

 

Fonte: Tecnologistica


148 queries in 8,252 seconds